Notícias da WWF

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Lá e de volta outra vez

Bom dia iWWF,

a vida anda muito corrida, mas finalmente arrumei um tempo pra postar algo. Primeiramente gostaria de agradecer as visitas que temos recebido direto da Austrália. E ao "fuçar" aquelas mensagensinhas do msn descubro que nosso amigo Fabiano Porto está morando lá agora. E aproveitando a oportunidade, não tive tempo de falar com ele ainda, então divulgarei o novo blog dele caefaaustralia.blogspot.com, acessem aí galera.

Outra coisa que queria citar é que a iWWF pertence agora a uma comunidade de blogs (joesfera), mas isso em nada interferirá em nossas postagens. E também gostaria de falar sobre o novo layout (eu particularmente não gostei das palmeiras, mas infelizmente perdi o arquivo do projeto do blog - tá a verdade é que eu não salvei :s).

No mais em breve mais postagens.
Até mais. E sigam-nos os bons.
sábado, 30 de janeiro de 2010

É hora de demonstrar seriedade no compromisso com o clima

Domingo, dia em que finaliza o prazo para os países colocarem no Acordo de Copenhague as metas e detalhes de seus programas de redução de emissões, é a oportunidade para que as nações que pressionam por um acordo do clima demonstrem que estão falando sério sobre essa questão, declarou a Rede WWF.

“O Acordo de Copenhague estabelece, atualmente, um objetivo consensual: manter o aquecimento global abaixo do limiar de perigo de dois graus centígrados”, disse Kim Carstensen, líder da Iniciativa Global do Clima da Rede WWF.
 “Domingo (31)  termina o prazo auto-imposto pelos países para colocar no papel o que eles irão realmente fazer para manter o mundo fora desse nível de perigo.”
Para a grande maioria dos países, disse Cartensen, isso significa aumentar consideravelmente os compromissos por eles assumidos até agora.

“As reduções de emissões colocadas na mesa em Copenhague estavam claramente nos encaminhando a um aumento no aquecimento global de três graus centígrados ou mais, mesmo sem levar em conta os muitos e grandes furos decorrentes de alegações dúbias sobre reduções de emissões e de contabilidade duplicada para estas reduções,” afirmou Carstensen.

As metas para as nações desenvolvidas que o WWF busca devem se aproximar, até 2020, do limite superior da faixa de 25 a 40% de reduções das emissões, com relação aos níveis de 1990.  Em Copenhague, somente a Noruega alcançou esse nível ambicioso, com uma meta de 40% de redução.  O Japão anunciou uma meta de menos 25% no Acordo, o que não está tão longe assim do nível desejado, enquanto a Austrália decepcionou, esta semana, ao anunciar sua intenção de manter sua meta de 5% de redução.

“Quanto às nações desenvolvidas que fizeram o máximo para forçar o Acordo de Copenhague, receamos que ainda exista um grande descompasso entre seu objetivo de manter o mundo longe do perigo climático e as medidas que elas estão preparadas para adotar a fim de realmente atingirem essa meta”, disse Carstensen.
As principais economias emergentes – o Grupo Basic, composto pelo Brasil, África do Sul, Índia e China  – anunciaram, no final de semana passado, sua intenção de cumprir o prazo de 31 de janeiro e com os programas de mitigação voluntária no âmbito do Acordo.
“Tal atitude desse grupo dos principais países em desenvolvimento é de grande ajuda.  Nossa expectativa é de que eles irão anunciar um nível elevado de ambição e tomar providências urgentes, apresentando planos nacionais de ação bem claros para alcançar esse patamar”, disse Carstensen.

O coordenador do Programa Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil, Carlos Rittl, destacou que a organização, no Brasil, espera que o Governo Federal informe ao secretariado da Convenção do Clima, até o final do mês, suas ações de mitigação e suas metas, como prometido em Nova Délhi, Índia, no dia 24 último, em declaração conjunta dos ministros participantes da reunião do Basic.
“Precisamos de máxima transparência sobre os números, sobre os cálculos e projeções feitas pelo governo. É necessário um plano muito eficiente para atingir tais metas e mesmo ir além. Este plano deve ser o nosso atual Plano Nacional de Mudanças Climáticas revisado e detalhado como um verdadeiro plano de ação de baixo carbono”, disse Rittl. 
Segundo ele, o plano deve definir mecanismos, medidas e ações que serão desenvolvidas para que o Brasil reduza suas emissões. “Assim, será possível que todos os setores de nossa sociedade trabalhem de forma coordenada com os Governos Federal, estaduais e municipais, em ações efetivas para contribuirmos com os esforços globais de combate às mudanças climáticas”, acrescentou Carlos Rittl.

A Rede WWF distribuiu documento intitulado “O Acordo de Copenhague:  um primeiro passo?”,  que faz uma análise de como o mundo pode iniciar essa jornada que parte do acordo político obtido em Copenhague para chegar a um tratado internacional do clima com obrigações legais, um objetivo a ser alcançado em dezembro próximo na Cidade do México.  A rede ambientalista mundial disse, ainda, que continua esperando pelos anúncios de ajuda financeira no  Acordo, pois isso é urgente para auxiliar os países em desenvolvimento a prevenir e enfrentar as mudanças climáticas.

“O público está consciente de que o mundo falhou em Copenhague e não fez o que era preciso fazer,” disse Carstensen.  Ele concluiu: “No entanto, o problema das mudanças climáticas não vai desaparecer.  Ele vai piorar.  E o custo de lidar com esse problema vai aumentar na medida em atrasarmos as providências efetivas a serem tomadas”, concluiu.
fonte: wwfbrasil
sexta-feira, 27 de março de 2009

Hora do planeta

Nós devemos nos preocupar com o futuro nosso planeta, e por isso venho aqui para divulgar a “Hora do Planeta 2009“, um ato simbólico para conscientizar o mundo do perigo que o Planeta Terra está correndo, e a WWF-Brasil irá participar pela primeira vez. No dia 28 de Março, às 20h30, governos, empresas e a população de todo o mundo são convidados a apagar as luzes por 60 minutos para demonstrar sua preocupação com o aquecimento global.
O objetivo da campanha este ano é alcançar um bilhão de pessoas, e para isso, a WWF espera contar com o apoio da mídia social, e faz um apelo a blogueiros, podcasters e todos aqueles que participam de comunidades e redes sociais na internet para que espalhem a notícia sobre a importância do ato de apagar as luzes por uma hora.
“As mídias sociais demonstraram que têm um forte potencial para provocar mudanças. Quando se trata de uma aposta tão alta como essa, nós realmente precisamos do apoio dos internautas para que a Hora do Planeta deste ano seja um sucesso“, declara o diretor executivo da Hora do Planeta, Andy Ridley.
É muito importante alcançar o número de um bilhão de pessoas, pois isso seria um alerta poderoso aos líderes mundiais que irão se reunir em Copenhague, em dezembro deste ano, para fazer uma acordo sobre uma política pós-Kioto de combate às mudanças climáticas. Assim quem sabe eles tomem decisões firmes para uma atuação decisiva de combate ao aquecimento global.
Por isso, ajude a divulgar a “Hora do Planeta” em seu Blog, Twitter, Orkut, YouTube, Facebook, Flog, ou em qualquer lugar!! Ajude o mundo a ter um futuro!!
Cadastre-se para receber boletins com dicas: www.earthhour.org/signup/br:pt-BR
quarta-feira, 18 de março de 2009

Projeto Rondon: Uma experiência Inesquecível

Todos os anos, muitos universitários deparam-se com cartazes sobre o Projeto Rondon espalhados pelo campus. Alguns simplesmente ignoram, mas muitos leem com olhos interessados todas as informações e, nem que seja por segundos, sentem-se atraídos pela idéia de tornar-se um rondonista.

Com este sentimento, muitos se inscrevem e prometem a si mesmos que irão ao primeiro encontro para confirmar a decisão. Porém, apenas uma minoria consegue vencer a barreira entre a vontade e a ação. Para a última edição do Rondon, realizada em janeiro, a Univap recebeu 150 inscrições. Apenas 41 compareceram no primeiro encontro.

Este encontro foi realizado em setembro, e deu início ao período chamado de “capacitação”, onde veteranos e professores transmitem aos estudantes interessados todo conhecimento necessário para garantir o sucesso da missão. Na Univap, onde a capacitação é mais rigorosa, os encontros semanais duram quase quatro meses.

Após seis semanas, pouco mais de um mês, apenas 19 estudantes continuavam participando das capacitações. Mas porque existem tantas desistências? Os motivos são muitos. Ora pessoais, ora profissionais, ora até por preguiça, pois os encontros são nos fins de semana. Mas todos que prosseguem nos encontros levam consigo um sentimento muito maior que imaginavam quando, tempos atrás, entregaram a ficha de inscrição.

Essa boa surpresa só é possível pela paixão que irradia em cada um dos professores, alunos e voluntários que orientam os estudantes. O sentimento de união, companheirismo e respeito é tanto que logo nos sentimos parte desta família.

Assim, com dinâmicas, vídeos, palestras e muita transmissão de conhecimento, as cansativas horas dedicadas nos fins de semana, tornam-se valiosos momentos para aprender sobre amizade, confiança, determinação e muitos valores que permanecem para sempre em nossas vidas.

Em janeiro, seis jovens partiram com destino a cidade de Curuá, oeste do Pará, para pôr em pratica todos os sentimentos e ensinamentos que aprenderam juntos durante tantas semanas. Por 15 dias, todas as batalhas enfrentadas por esses jovens foram engrandecidas pelo sorriso dos habitantes de Curuá.

E é justamente este sorriso, esta felicidade nos olhos de quem, muitas vezes, não tem nem água limpa para beber, que faz do Projeto Rondon mais que uma boa experiência para o currículo, uma verdadeira lição de vida.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Trabalhe conosco

Por motivo de força maior tivemos que dar uma longa pausa na atualização deste blog. Por isso pedimos a sua colaboração. Torne-se parceiro e ajude na continuação deste excelente trabalho. Envie um email para dcbmariano@yahoo.com.br ou clique no link trabalhe conosco no menu. 

"É através das pequenas ações que obtemos grandes resultados".

Atenciosamente,
Equipe iWWF Brasil
quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Tundra

A tundra é uma vegetação proveniente do material orgânico que aparece no curto período de degelo durante a estação "quente" das regiões de clima polar, apresentando assim apenas espécies de que se reproduzem rapidamente e que suportam baixas temperaturas. Essa vegetação é um enorme bioma que ocupa aproximadamente um quinto da superfície terrestre. Aparece em regiões como o Norte do Alasca e do Canadá, Groenlândia, Noruega, Suécia, Finlândia e Sibéria.

A Tundra Ártica surge no sul da região dos gelos polares do Ártico, entre os 60º e os 75º de latitude Norte, e estende-se pela Escandinávia, Sibéria, Alasca, Canadá e Groelândia. Situada próximo do pólo norte, recebe pouca luz e pouca chuva, apresentando um clima polar, frio e seco. O solo permanece gelado e coberto de neve durante a maior parte do ano, a vegetação é rasteira, não possui árvores com abundancia de musgos e líquens.

Fonte: Wikipedia

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Pérolas do ENEM 2008

Segue abaixo as pérolas do ENEM 2008. Estou postando, pois o tema é a Amazônia. Boas risadas:

01) “o problema da amazônia tem uma percussão mundial. Várias Ongs já se estalaram na floresta.” (e levaram o disco da Xuxa onde ela canta “Brincar de Índio”)

02) “A amazônia é explorada de forma piedosa.” (…)

03) “Vamos nos unir juntos de mãos dadas para salvar o planeta.” (o mundo tem mais um Capitão Planeta?)

04) “A floresta tá ali paradinha no lugar dela e vem o homem e créu.” (velocidade 5 do créu!)

05) “Tem que destruir os destruidores por que o destruimento salva a floresta.” (pra deixar bem claro o tamanho da destruição)

06) “O grande excesso de desmatamento exagerado é a causa da devastação.” (pleonasmo é lei!)

07) “Espero que o desmatamento seja instinto.” (…)

08) “A floresta está cheia de animais já extintos. Tem que parar de desmatar para que os animais que estão extintos possam se reproduzirem e aumentarem seu número respirando um ar mais limpo.” (os animais extintos também merecem uma cerveja para comemorar quando o ar estiver limpo)

09) “A emoção de poluentes atmosféricos aquece a floresta.” (noffa)

10) “Tem empresas que contribui para a realização de árvores renováveis.” (todo mundo na vida tem que ter um filho, escrever um livro, e realizar uma árvore renovável)

11) “Animais ficam sem comida e sem dormida por causa das queimadas.” (esqueceu que também ficam sem o home theater e os dvd’s da coleção do Chaves)

12) “Precisamos de oxigênio para nossa vida eterna.” (amém)

13) “Os desmatadores cortam árvores naturais da natureza.” (e as renováveis?)

14) “A principal vítima do desmatamento é a vida ecológica.” (deve ser culpa da morte ecológica)

15) “A amazônia tem valor ambiental ilastimável.” (ignorem, por favor)

16) “Explorar sem atingir árvores sedentárias.” (peguem só as que estiverem fazendo caminhadas e flexões)

17) “Os estrangeiros já demonstraram diversas fezes enteresse pela amazônia.” (ÃHN?)

18) “Paremos e reflitemos.” (beleza)

19) “A floresta amazônica não pode ser destruída por pessoas não autorizadas.” (onde está o Guarda Belo nessas horas?)

20) “Retirada claudestina de árvores.” (caraulio!)

21) “Temos que criar leis legais contra isso.” (bacana)

22) “A camada de ozonel.” (Chris O’Zonnell?)

23) “a amazônia está sendo devastada por pessoas que não tem senso de humor.” (a solução é colocar a o pessoal da Zorra Total pra cortar árvores)

24) “A cada hora, muitas árvores são derrubadas por mãos poluídas, sem coração.” (…)

25) “A amazônia está sofrendo um grande, enorme e profundíssimo desmatamento devastador, intenso e imperdoável.” (campeão da categoria “o mais enchedor de lingüiça”)

26) “Vamos gritar não à devastação e sim à reflorestação.” (NÃO!)

27) “Uma vez que se paga uma punição xis, se ganha depois vários xises.” (gênio da matemática)

28) “A natureza está cobrando uma atitude mais energética dos governantes.” (red bull neles - dizem as árvores)

29) “O povo amazônico está sendo usado como bote expiatório.” (ótima)

30) “O aumento da temperatura na terra está cada vez mais aumentando.” (subindo!)

31) “Na floresta amazônica tem muitos animais: passarinhos, leões, ursos, etc.” (…)

32) “Convivemos com a merchendagem e a politicagem.” (que burragem)

33) “Na cama dos deputados foram votadas muitas leis.” (imaginem as que foram votadas no banheiro deles!)

34) “Os dismatamentos é a fonte de inlegalidade e distruição da froresta amazonia.” (oh god!)

35) “O que vamos deixar para nossos antecedentes?” (dicionários)

36) “A fiscalisação tem que ser preservativa.” (lerê-lerê)

37) “Não podem explorar a Amazônia de maneira tão devassaladora.” (neologismo pra devastadora + avassaladora)

Fonte: http://www.circoarmado.com.br/haznos/2008/10/perolas-do-enem-2008/

sábado, 25 de outubro de 2008

Ecossistemas

Ecossistema (grego oykos, casa + σύστημα) designa o conjunto formado por todos os fatores bióticos e abióticos que atuam simultaneamente sobre determinada região. Considerando como fatores bióticos as diversas populações de animais, plantas e bactérias e os abióticos os fatores externos como a água, o sol, o solo, o gelo, o vento. Todos os ecossistemas do mundo formam a Biosfera.

A biosfera é constituída pelo conjunto de todos os seres vivos mais o meio ambiente que eles habitam. Ela compreende todos os lugares onde existe alguma forma de vida: no solo, atinge pequenas profundidades; nos lagos e rios, estende-se desde o fundo até a superfície; nos oceanos, descesse até cerca de sete mil metros de profundidade; no ar, chega a aproximadamente oito mil metros acima do nível do mar.

Logo um ecossistema é uma parte da biosfera que pode ser estudada de forma isolada. Uma floresta, um lago, um pântano ou a caatinga, tomados em sua totalidade, são exemplos de ecossistemas. Campos e desertos contrastam na diversidade de ecossistemas.

O ecossistema se compõe dos seres vivos, o meio ambiente onde vivem e asa relações que esses seres mantém entre si e com o meio. Campos e desertos são exemplos de ecossistemas, sendo o primeiro de maior biodiversidade, devido ao favorecimento dado pela maior presença de umidade. O deserto, embora o nome sugira ausência de vida, há sempre algumas espécies de seres vivos que conseguem se adaptar à pequena umidade e grandes variações de temperatura. Nos desertos, pela falta de umidade no ar, torna-se difícil a retenção do calor, e ao anoitecer, as temperaturas caem muito. Assim, os animais que lá sobrevivem, contam com a maciez do solo para se ocultar do calor durante o dia, e se aqueceram durante a noite.


Nas próximas semanas estaremos postando mais sobre os diversos ecossistemas do nosso planeta. Aguarde.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Salvem a Mata Atlântica

A Mata Atlântica está entre as florestas mais ricas do mundo em biodiversidade. Na realidade suas espécies evoluíram de forma tão única que quatro entre dez de suas espécies de plantas existem apenas neste bioma.

Está também entre as florestas mais ameaçados do mundo, já tendo perdido 93% de sua cobertura original. Não é de se surpreender que a Conservation International, ao definir os 25 principais “hotspots” – ambientes mais ricos e mais ameaçados do planeta -, tenha colocado a Mata Atlântica entre os 5 principais.


Ajude a frear o processo de devastação participando da campanha clickarvore - um programa de reflorestamento com espécies nativas da Mata Atlântica pela Internet. Cada click corresponde ao plantio de uma árvore, custeado por empresas patrocinadoras. É bem fácil. Você pode plantar árvores diariamente com um clique do seu mouse.


Nós da iWWF apoiamos esta campanha e contamos com a colaboração de nossos leitores.

Texto original:Meio Ambiente Urgente

Foto: Marco Pozzana
sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Mudança de Clima

"Um temporal com granizo causou prejuízos nesta quarta em Belo Horizonte. Em minutos, a cobertura do posto ruiu e pedras de gelo do tamanho de bolas de pingue-pongue produziram um espetáculo assustador no estádio do Mineirão".
Fonte: G1







Recomendamos

Joesfera

Seguidores

Contador de Visitas


Contador de acesso grátis

Deixe seu recado


Seu Status

Licença

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.